Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

Ermida do Monte Farinha - Vilar de Ferreiros (M. de Basto)

          Sob este pavimento, do segundo adro da ermida do Monte Farinha ou Senhora da Graça, está a nascer um Centro de Recolhimento Espiritual que com o apoio e generosidade dos devotos de Nossa Senhora e de São Tiago, bem como da prometida comparticipação do Estado, vai dar resposta a uma lacuna que no mais famoso miradouro do Norte de Portugal há muito se fazia notar.  

Centro de Convívios e Lazer de Nossa  Senhora da Graça

          Com esta fachada virada a sul do Monte Farinha, os futuros clientes  do Centro Espiritual e de Lazer de Nossa Senhora da Graça vão poder gozar, além da paisagem que dos aposentos se desfruta, também do conforto e sossego que o Centro vai pôr ao dispor dos utentes com 12  quartos individuais dotados com casa de bambo privativa.

Um dos panoramas que se desfruta do Centro de Convívios 

           O Centro prevê também,  um espaço para reuniões ou conferências   e outras actividades como: retiros espirituais e convívios.

       Por hoje só falo do que diz respeito à hospedaria que me parece estar quase pronta e eu gostava de inaugurar ainda este ano, vamos a ver. Entretanto há que conhecer e dar a conhecer as instalações:

 O que vai ser a sala de recepção

 Um dos doze quartos 

 Instalações sanitários de cada um dos respectivos quartos

 Painel informativo do licenciamento e autorização da obra.



publicado por aquimetem às 15:21
Terça-feira, 29 de Abril de 2008

Vilar de Ferreiros

          Alertado, esta tarde, por pessoa amiga, de que estava a participar, em directo, num programa televisivo da SIC (Contacto)  o Bispo titular de Vila Real, D. Joaquim Gonçalves, de pronto corri a ligar o televisor, e durante alguns minutos deliciei-me  a ver e a ouvir o insigne Prelado, por quem todos os dias costumo rezar.

         Como é sabido, por motivos de saúde, D. Joaquim esteve afastado das suas actividades pastorais durante alguns meses, e só agora parece as vai retomar  como indica  a recente participação, em Fátima, na Assembleia Plenária da CEP. 

          Ainda sob forte controle  médico, D. Joaquim que em Janeiro realizou um transplante cardíaco, mostrou-se bem humorado e com aspecto de homem cheio de boa saúde, por isso diz  que se não fosse o médico lhe lembrar que está doente e o obrigar a um regime alimentar e algumas cautelas, pela sua parte  já se sentia com forças para jogar futebol e comer como come qualquer pessoa com saúde.

          A última vez que vi e cumprimentei sua Excelência  Reverendíssima, foi em 22 de Setembro pp, precisamente no dia em que também D. Joaquim fez a sua mais recente  visita ao Monte Farinha. Já é altura de lá voltar, Nossa Senhora da Graça quer vê-lo !

 



publicado por aquimetem às 22:41
Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2008

          Deu ontem  entrada como bispo coadjutor Vila Real, o nosso insigne comprovinciano  Dom Amândio Tomás que é o primeiro bispo natural da diocese a desempenhar  tais funções. A sua nomeação como é sabido deve-se ao facto do bispo titular Dom Joaquim Gonçalves se encontrar muito debilitado,  devido a uma grave enfermidade do foro cardíaco. 

          Vindo de Évora, onde foi bispo auxiliar, Dom Amândio vem agora para uma diocese bem sua conhecida, e ainda  que apenas na condição de  coadjutor a sua acção apostólica  promete vir a produzir muitos frutos, à medida dos de Dom Joaquim Gonçalves e de seus antecessores. Disso já deram a perceber as declarações que fez à imprensa lembrando que " Há toda a vantagem em criar um Portugal harmónico. As pessoas  não vão para o litoral por mero e puro prazer, mas por necessidades de ordem económica. Por isso, se lhes proporcionarmos postos de trabalho elas fixar-se-ão", lembrou agora ele ao mostrar-se preocupado com a desertificação que atinge o interior do País. A Igreja tem que começar a falar alto e em bom som, para que os surdos ouçam....

          Recebido com o entusiasmo próprio do povo transmontano, mais de uma centena de sacerdotes e 15 bispos assistiram à entrada oficial de Dom Amândio Tomás na sua nova diocese. A Irmandade de Nossa Senhora da Graça lá se fez representar pelo seu presidente e secretário respectivamente Padre Manuel Correia Guedes e Manuel Mário Borges Lopes. Eu não fui, mas daqui saúdo muito respeitosamente Dom Amândio, e a Dom  Joaquim desejo rápidas melhoras, em dia de Nossa Senhora de Lurdes que há 150 anos, nesta data, apareceu a Bernardete.



publicado por aquimetem às 23:52
Terça-feira, 08 de Janeiro de 2008

         Natural de Chaves, onde nasceu a 23 de Abril de 1943, Dom Amândio José Tomás foi ordenado sacerdote a 15 de Agosto de 1967.

         Em Roma foi Reitor do Colégio Português. E pelo Papa João Paulo II  foi nomeado Bispo Titular de Ferradi Maior como Auxiliar do Arcebispo de Évora, a 5 de Outubro de 2001. Sagrado bispo pelo mesmo papa, a 6 de Janeiro de 2002, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, logo a 20 desse mesmo mês deu entrada ao serviço da Arquidiocese de Évora.  Aquando da nomeação, o Arcebispo Dom Maurílio de Gouveia,  nesse mesmo dia, referindo-se ao facto, adiantava ter sido  "um autêntico dom de Deus". Esse mesmo elogio pode partir agora dos diocesanos vila-realenses que o vão ter a partir de hoje como bispo coadjutor de Dom Joaquim Gonçalves cuja saúde continua precária e por isso carece da quem o ajude no cumprimento da sua missão apostólica. 

        Confirmou-se assim o que em post de 15 /12/ 07, sob o titulo " Seja Bem-vindo", já tinha  avançado. Não há fumo, sem fogo. 

    Fonte: Marão Online

 



publicado por aquimetem às 18:33
Sexta-feira, 23 de Novembro de 2007

 

Santo Apolinário

           É um desporto como qualquer outro, que além de barato faz bem à saúde de quem o pratica. Refiro-me ao pedestrianismo, desporto  que segundo o jornal Mundo à Sexta " é muito popular no Reino Unido e na Alemanha, os dois principais mercados emissores de turistas para o Algarve. Só a associação nacional inglesa tem cerca de um milhão e meio de sócios activos". Pelos vistos os algarvios estão mesmo empenhados em promover a pratica deste desporto na região e para isso começaram já a recuperar os trilhos ou vias antigas por onde dantes os povos circulavam e se comunicavam. 

          Em colaboração com outras regiões, como por exemplo Andaluzia, estas vias ou trilhos assentam sobretudo na reconversão dos caminhos dos peregrinos  que se deslocavam de diferentes pontos da Europa e do sul de Portugal até Santiago de Compostela, e mais tarde a Lourdes e Fátima. Não esquecer que também Santa Senhorinha de Basto,  São Gonçalo de Amarante e São Torcato de Guimarães, foram outrora locais famosos de romagem. E Nossa Senhora de São Veríssimo ou Senhora da Graça, onde até Santo Apolinário por lá se venerou?! Bem isto é só para dizer que todos os caminhos e carreiros antigos das demais regiões portuguesas devem ser recuperados e assinalados, porque além do seu valor histórico podem ser motivo de atracção turística quando bem aproveitados. Vamos a isso.



publicado por aquimetem às 22:11
Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

          Mais parece obra de pincel que trabalho de  objectiva, mas não é pintura. Esta foto foi colhida há pouco do alto do Monte Farinha e como se pode ver mostra em primeiro plano a aldeia de Vilar de Ferreiros, com o monte Toumilo em frente, muito bem assinalado por um  aceiro que de baixo a cima  identifica o famoso relevo. Por detrás, fica o vale por onde depois das  Fisgas de Ermelo, desce o Ôlo  em direcção Amarante,  e lá mais afastado  a serra dominante: o Marão.

Panorâmica vista a sul do Monte Farinha

          Em relação a Vilar de Ferreiros se tem o Toumilo em frente, logo também o Monte Farinha lhe fica na retaguarda com os respectivos acessos que conduzem até ao pico. E é precisamente para uma vez mais  falar num desses acessos ao "Iteiro" da Senhora que redijo este post. O motivo tem a ver com uma brochura muito bem ilustrada que a Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro, de Lisboa, mandou editar em 1978 para comemorar os 73º aniversário da sua fundação, e na qual deparei com uma velha foto que nos inícios da década de 60 colhi in loco na subida,  antes do Caminho Novo, e  provavelmente cedi mais tarde para constar na publicação citada, onde aparece com a seguinte legenda: " Pedras existentes em rixeiras (Vilar de Ferreiros) que dizem ser um monumento fúnebre pré-histórico". Rixeiras ou Recheiras tanto monta, uma vez que o povo, aqui, dispensa o rigor da etimologia. Até eu por mera ignorância.

           Com uma pequenina mancha cor de rosa assinalei, do lado esquerdo da foto, o local onde quem de Vilar sobe para a Senhora da Graça se situa o ermo lugar das Richeiras e o ponto em que o dito monumento se localiza.

          Já dele me ocupei aqui em post anterior, creio que em Novembro de 2006. Volto a fazê-lo agora  porque também hoje encontrei nos meus arquivos a velha foto desse monumento que a seu tempo divulguei sem grande resultado dado ali não haver, como em Foz Côa, vinhas do Douro a proteger e as pedreiras aqui serem bem mais lucrativas que por ignorância o património local.

Monumento Fúnebre ou de Culto? Merecia

bem a pena que alguém com autoridade na

matéria visitasse as Richeiras e se

pronuncia-se.

 



publicado por aquimetem às 12:38
Terça-feira, 06 de Novembro de 2007

        Em post recente comentava eu que com o fim de Setembro a afluência de peregrinos e turistas ao alto da Senhora da Graça sofre uma quebra muito significativa que como sabemos se reflecte em baixa no cofre  das esmolas e donativos que são a garantia do asseio e desenvolvimento que nestes ultimas décadas ali se tem verificado.

         Também o restaurante durante este lapso não tem o movimento que a qualidade e a localização mereciam. Mesmo assim, ainda que mais raramente ele continua a ser um espaço privilegiado  e procurado para celebrar festas familiares como foi agora a do aniversário da minha conterrânea D. Gravelina Ferreira Lopes que no domingo, dia 4, em lauto e animado almoço ali juntou  toda a sua dilecta prole para com ela comemorar os seus 82 anos feitos no dia anterior, sábado dia 3.

          Mãe e esposa exemplar, a D. Gravelina viu nesta reunião familiar a prova do carinho que nutre no seio de todos os seus e pode alegrar-se por se  saber assim estimada , o que já não é muito vulgar hoje em dia ver. Por isso os meus parabéns.

          De Barrancos, veio  a sua filha Dina, marido e filhos; de Paredes, a filha Maria, marido e filhos, e de Lisboa, o seu  filho António, esposa e filhos, e ainda a sua filha Maria de Fátima. Tudo a juntar  à  filha São, marido e filhos que vivem na terra.  

          Por muitos anos mais, prezada conterrânea!      

 

A aniversariante D. Gravelina e seu marido Sr. Manuel Lopes

 



publicado por aquimetem às 21:35
Domingo, 04 de Novembro de 2007

          Com o fim de Setembro a afluência de romeiros e peregrinos ao Monte Farinha sofre uma descida quase na perpendicular, a partir daí apenas aos fins de semana e dias soalheiros acontece haver ali mais movimento, mas nunca que atrapalhe o ermitão e muito menos quem serve no acolhedor restaurante de Nossa Senhora da  Graça.

Alto do Monte Farinha ou Sra. da Graça - altitude a rondar

os 1000 metros.

Restaurante da Senhora da Graça

          Com esta quebra de romeiros e peregrinos que por regra vai de Setembro a Maio de cada ano, também as obras de  beneficiação do espaço e à volta do santuário de Nossa Senhora saiem a perder. Trabalhos como os desta placa que vai servir de esplanada ao restaurante não se fazem sem a generosidade dos devotos de Nossa Senhora e do "Santinho", São Tiago.  Vamos a dinamizar o espaço com as instalações que faltam para encontros e retiros espirituais.  

Placa à espera de massa, cimento.



publicado por aquimetem às 00:07
Quarta-feira, 03 de Outubro de 2007

       

Imagem de São Veríssimo - sacristia do santuário

de  NS da Graça, no Monte Farinha 

          Hoje em Portugal a Igreja festeja os mártires Veríssimo (S), e suas irmãs Máxima e Júlia (Stas ). Estes bem-aventurados que foram martirizados no inicio do séc. IV  a quando das ferozes perseguições de Diocleciano aos cristãos, "...estão ligados à toponímia lisboeta. Foi uma circunstância milagrosa de sua morte que deu origem ao nome da freguesia de   Santos-o- Velho". Diz a lenda que teriam sido degolados e atirados ao Tejo com pedras atadas aos pés e que depois os seus corpos apareceram numa das  margens perto do lugar onde em sua memória se construiu a igreja de Santos, da qual ainda hoje são titulares.

        Para assinalar os 1700 anos da origem da Igreja de Santos-o- Velho, em 2003, o Patriarcado de Lisboa levou a efeito alguns actos comemorativos que culminaram com a restauração da capela das relíquias destes santos que também por um "arranjo do calendário litúrgico" passaram a ser festejados a 3 de Outubro, em vez de no dia 1, como era tradição.

        Mas não foi propriamente dito com o objectivo de falar destes santos como titulares duma paróquia alfacinha que os recordo aqui, mas antes porque em tempos idos o famoso Monte Farinha foi conhecido por monte de "nossa senhora de são brisimo ", como consta do Tombo de Vilar de Ferreiros, de 1566. Isto quer dizer que a devoção a este santo mártir não se ficou apenas pela capital, subiu montanhas! Dai que comentando as comemorações que acima cito tenha escrito algures: "Pois é. Mas estamos em Portugal e falta cá um D. Afonso Henriques, um D. Nuno Alvares Pereira ou simplesmente aquele sentimento nobre e cristão dos nossos antepassados  que fizeram chegar o culto de São Veríssimo de Santos -o-Velho  ao "Iteiro" da Senhora da Graça. Mas se entretanto fosse para inaugurar um estádio ou dar vivas num comício, Lisboa e arredores não caberiam em Santos... durante estas festivas comemorações!"  Foi um modo de também me associar ao santo que hoje se festeja.



publicado por aquimetem às 17:44
Sexta-feira, 14 de Setembro de 2007

          Nesta minha recente deslocação a Vilar de Ferreiros não utilizei o Caminho Novo para subir até ao "Iteiro da Senhora", mas fiquei com pena de pelo menos não ter tentado fazê-lo. E com mais pena fiquei quando lá no cimo dei de caras com uma daquelas "pérolas" arqueológicas de que o Monte Farinha dantes era fértil, tombada a um canto como vulgar objecto inútil. Não é! Mesmo assim é bem melhor ali do que a ficar a esmo por um espaço onde a exploração do granito corta a eito tudo quanto seja pedra. Ora vejam:

Pedra onde são visíveis as enigmáticas

 "covinhas" que abundam no Monte Farinha

Na rota do Caminho Novo fica ao lado

o espectáculo triste das pedreiras



publicado por aquimetem às 00:05
Em vez de "Caminho Novo" vai passar a chamar-se o sítio aonde essa antiga via conduz: Monte Farinha.
mais sobre mim
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
Contador de visitas
subscrever feeds
blogs SAPO