Segunda-feira, 11 de Fevereiro de 2008

          Deu ontem  entrada como bispo coadjutor Vila Real, o nosso insigne comprovinciano  Dom Amândio Tomás que é o primeiro bispo natural da diocese a desempenhar  tais funções. A sua nomeação como é sabido deve-se ao facto do bispo titular Dom Joaquim Gonçalves se encontrar muito debilitado,  devido a uma grave enfermidade do foro cardíaco. 

          Vindo de Évora, onde foi bispo auxiliar, Dom Amândio vem agora para uma diocese bem sua conhecida, e ainda  que apenas na condição de  coadjutor a sua acção apostólica  promete vir a produzir muitos frutos, à medida dos de Dom Joaquim Gonçalves e de seus antecessores. Disso já deram a perceber as declarações que fez à imprensa lembrando que " Há toda a vantagem em criar um Portugal harmónico. As pessoas  não vão para o litoral por mero e puro prazer, mas por necessidades de ordem económica. Por isso, se lhes proporcionarmos postos de trabalho elas fixar-se-ão", lembrou agora ele ao mostrar-se preocupado com a desertificação que atinge o interior do País. A Igreja tem que começar a falar alto e em bom som, para que os surdos ouçam....

          Recebido com o entusiasmo próprio do povo transmontano, mais de uma centena de sacerdotes e 15 bispos assistiram à entrada oficial de Dom Amândio Tomás na sua nova diocese. A Irmandade de Nossa Senhora da Graça lá se fez representar pelo seu presidente e secretário respectivamente Padre Manuel Correia Guedes e Manuel Mário Borges Lopes. Eu não fui, mas daqui saúdo muito respeitosamente Dom Amândio, e a Dom  Joaquim desejo rápidas melhoras, em dia de Nossa Senhora de Lurdes que há 150 anos, nesta data, apareceu a Bernardete.



publicado por aquimetem às 23:52
Em vez de "Caminho Novo" vai passar a chamar-se o sítio aonde essa antiga via conduz: Monte Farinha.
mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29


pesquisar neste blog
 
Contador de visitas
blogs SAPO