Quinta-feira, 16 de Maio de 2013

          O tempo Pascal está a chegar ao fim, acaba no Domingo de Pentecostes, que é já no próximo dia 19. Em Ano da Fé, o Credo é aquela formula doutrinal, também conhecida por Símbolo dos Apóstolos, que neste  lapso em muitas igrejas se recita diariamente. Nas paróquias da baixa, em Lisboa, passou mesmo a ser regra, em todas as eucaristias, desde que Bento XVI o declarou aberto.

         Para ver os frutos, que se esperam abundantes, pedimos a interseção do Divino Espírito Santo, aguardando por nos podermos regozijar com Francisco I. Depois do Pentecostes vem a seguir o Domingo da Santíssima Trindade que, este ano, coincide com a Festa da Ascensão, aqui deste há bastante tempo transferida para o ultimo domingo de Maio. Das festas moveis mais antigas que no Monte Farinha se realizam, e se festejava em 5ª-feira da Ascensão, passou por conveniência dos fieis a ter uma data fixa:último domingo de Maio. 

          Não no fim, mas a meio está o Ano da Fé e também o Mês de Maria. Aquele mês que São Josemaria Escriva pede aos seus filhos e filhas no Opus Dei para festejarem com muitas "romarias" a Nossa Senhora. "Romarias" que constam de fazer uma visita a um santuário mariano e recitar três terços, um na ida; outro, no interior do santuário; e outro, no regresso. Ser muito mariano, pedia. A este propósito escreveu J.A. Riesta: "O Opus Dei é essencialmente mariano, e isso é parte integrante da herança espiritual que recebeu de S.Josemaria. Não é possível entender a vida de um fiel da Prelatura sem um grande carinho à Mãe de Deus". Uma boa razão para se aproveitar bem esta visita a NSª da Graça e fazer uma "romaria", acompanhando ou não o cortejo da peregrinação que o  Arciprestado do Baixo Tâmega promove e dinamiza tendo escolhido também o Símbolo dos Apóstolos como tema a ser aprofundado pelos fieis do Arciprestado. Por esta ordem: - Alvadia : “Creio”; Atei: em “Deus, Pai Todo Poderoso, Criador”; Bilhó: em “Jesus Cristo, Único Filho”; Campanhó: “Gerado não criado”; Canedo de Barroso: “Concebido pelo Poder do Espírito Santo”; Cerva: “Nasceu da Virgem Maria”; Ermelo: “Padeceu, foi Crucificado”; Limões: “Morreu e foi Sepultado”; Mondim de Basto: “Ressuscitou ao 3º Dia”; Paradança: “ Subiu aos Céus”; Pardelhas: “Espírito Santo que Dá Vida”; Salvador: “Espírito que Procede do Pai e do Filho”; Santa Marinha: “ Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica”; Santo Aleixo: ”Professo um só Baptismo”, e Vilar de Ferreiros: “ Espero a Ressurreição”. Preside este ano, o Padre Jorge Amaro, um sacerdote franciscano que vem de Braga. Trata-se da Festa da Ascensão do Senhor aos Céus, mas aqui junto a Sua Mãe Maria Santíssima, tem duplo significado. E fazê-lo com muita confiança e certeza que "O culto e a devoção a Nossa Senhora é muito antigo na Igreja. Surge da realidade da sua maternidade divina e do papel que Cristo lhe reservou na economia salvífica. A Virgem é Mãe de Deus, Theotokos, e nossa Mãe. Neste sentido, o culto mariano teve sempre uma clara conotação cristológica". Com esta festa começa a temporada alta das festas e romarias na região, mas também no mais famoso miradouro de norte de Portugal, que é este. É a rampa de lançamento.... e caso para dizer que temos um mês de Maio rico em celebrações que nos convidam a subir mais alto... Que seja pela mão de Maria, e com muitas “romarias” em Seu louvor; neste mês das rosas floridas. Seja em qualquer santuário mariano que for, mas o do Monte Farinha.....fica mais próximo do Céu, subam até lá para falar com Ela.



publicado por aquimetem às 00:05
Em vez de "Caminho Novo" vai passar a chamar-se o sítio aonde essa antiga via conduz: Monte Farinha.
mais sobre mim
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
Contador de visitas
blogs SAPO